Globos de Ouro - Luciana Abreu

Incorrígivel Herman

Incorrígivel RAP

Incorrígivel ZDQ

Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Comentando os comentários

- E como é que arranja tempo para o blogue?, pergunta alguém na caixa de comentários.

Simples. Como quase toda a gente, faço muitas coisas quando estou a ver TV, incluindo andar na Internet.

 

Uma pessoa qualquer diz que a televisão agora só na Internet e não podia concordar mais. As pessoas mais novas que conheço raramente vêem TV, sacam tudo ou vêem em streaming. É outra geração e outra maneira de fazer as coisas. A mim não me passa pela cabeça, pelo menos ainda. Apesar de adorar algumas coisas, não sou tão fã de nenhuma que vá fazer isso. Mas sim, Internet killed the television stars.



Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2010

Como se contabilizam as horas que uma pessoa passa a ver TV

Não é de facto porque as pessoas se sentam a "olhar" para o aparelho.
Se fizéssemos as contas apenas a esses minutos, cada pessoa veria menos de uma hora por dia. Não. A conta faz-se do momento em que a acendemos e temos alguma espécie de contacto com o que lá se passa e o momento em que a deligamos. Quase como um rádio.

Por exemplo, eu acordo e acendo para ver (ouvir) as notícias. São quase duas horas nisto. À noite, chego às 20.00, volto a acender. Ficamos nisto até à 01.00. Ora, duas mais cinco dá quanto? Sete horas!!! É a verdade. Faço muitas coisas no entretanto, Visto-me e visto outros. Dou banho, dou jantar na cozinha (sem TV, mas com o ruído de fundo da TV), preparo o dia seguinte... Parar verdadeiramente só mesmo lá para as 23.00 e se calhar à meia-noite estou frita e acordo à 01.00 para ir para a cama mesmo, mas a verdade é que está lá o ruidinho. E se caírem as torres gémeas eu vou saber.

Não, eu não sou nenhuma freak. Isto acontece a muito boa gente. Aliás, na maioria dos casos. De tal forma que, se as pessoas realmente parassem a olhar para o televisor às 21.00 não eram novelas da TVI que a esmagadora maioria estaria a ver. Porque nesse caso nada nos impediria de ver séries estrangeiras com legendas. Era indiferente. Acontece que, por estranho que pareça, ainda há mais pessoas que não sabem línguas estrangeiras do que as que não conseguem ler legendas. Portanto, de que adiantaria ter uma série muito boa se depois não podemos parar para a ver? A RTP2 que é a RTP2 só programa séries para as 22.00. 

 

 

 



Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Parece que há quem esteja preocupado com a minha vida

Chegou este texto à caixa de comentários deste blogue: 

 

"Passas 6 a 8 horas em frente á TV??
meu deus deves ter já os miolos completamente desfeitos
De qualquer maneira não se perde nada (com os teus miolos desfeitos)claro
Vai mas é fazer alguma coisa construtiva
devias ter vergonha de assumires essa doença assim publicamente
exprimenta LER
talvez ainda te safes".

 

O autor é "desconhecido".

 

Não é meu costume dar voz a quem usa a Internet a coberto da anonimato, mas uma pessoa tão preocupada comigo merece que se abra uma excepção. Repare-se que, neste pedaço de fina prosa, este prémio nobel da literatura não faz mais do que desejar-me o melhor. E, sem sombra de dúvidas, se é para articular pensamentos com esta clarividência e com este deslizar da pena, só posso agradecer. Aqui está alguém que, percebe-se em dois segundos, lê que se desunha e não vê televisão, esse meio menor que só intoxica. Aqui está alguém que pode falarr de cátedra da vida alheia. Que pode dizer que eu preciso de ler. Que sabe pôr espaços num texto, fazer pausas e parágrafos, frases até.

A sério, quando é assim, só posso agradecer.

 



Domingo, 7 de Fevereiro de 2010

Os dois tipos de pessoas que vêem televisão

Existem dois tipos de pessoas que vêem televisão: as que vêem e as que dizem que não vêem (mas que também vêem, claro).

 

Cada português, segundo estatísticas de alguém que perdeu tempo com isto, vê, em média, três horas e meia de televisão por dia. E média é isso mesmo: o ponto do meio. A conta de dividir entre quem não liga o aparelho e quem, como eu, se cola ao ecrã umas seis, oito horas por dia (mais se puder).

 

Ora, eu não sou caso único e muito menos raro, ao contrário do que as pessoas dizem, ou do que muitas pessoas dizem. Aliás, em muitos casos ainda não percebi se estão a enganar-se a elas próprias, se estão a tentar enganar o mundo.

 

Não é a primeira, nem a segunda, isto acontece-me muitas vezes. Estou a falar com pessoas e elas dizem-me "Eu quase não vejo televisão" e eu acredito. E depois começamos a falar de programas e sabem tudo. Tudo e mais um par de botas. Aconteceu-me numa conferência de imprensa. Estávamos na sala de espera à espera que o Zeinal Bava falasse quando se começou a falar no programa dos Gato Fedorento e alguém disse que quase não via. E eu a dizer: "ah, eu vejo quase sempre". Depois começam a falar de episódios e, vai-se a ver, e o meu "quase sempre" é nada comparado com o tempo que este pessoa dispende em frente ao ecrã. É como séries novas. Vêem as dos canais generalistas e da RTP Memória, mais as dos Fox e o AXN. Eu acho bem, mas depois não me venham cá dizer que "televisão, pouca". Só faz é mal e não se aprende nada. Lamento, mas eu acho que na televisão se aprende muito.

 

 




Pesquisar este blog

 

Tags

"morangos"

"o grande dador"

"só visto"

"sobrenatural"

30 rock

5.º canal

a outra

axn

casamento de sonho

daytime

documentário

família superstar

fascínios

fox life

fox next

gato fedorento

globos de ouro

humor

luís filipe menezes

markl

meo

morangos

mundo

números

operação triunfo

pivôs

publicidade

quinto canal

reality shows

reflexão

rtp

rtp1

rtpn

séries

set

sic

sic notícias

sic radical

sócrates

top

tvi

tvi 24

tvi24

todas as tags

Arquivos

Março 2013

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO

subscrever feeds